top of page

Todo o site com parcelamento | Frete grátis nas compras acima de R$500

Frete grátis nas compras acima de R$ 500

As joias mais simbólicas e místicas do mundo

As joias mais simbólicas e místicas do mundo são aquelas que têm um significado especial, seja por sua origem, sua história, sua beleza ou seu poder. Algumas dessas joias são famosas e admiradas, outras são temidas e evitadas, mas todas elas despertam a curiosidade e a fascinação das pessoas. Neste post, vamos apresentar algumas das joias mais simbólicas e místicas do mundo, e o que elas representam.


Foto: Arquivo Tiffany "Bonequinha de Luxo"


O Anel do Senhor dos Anéis

Este anel é uma réplica do famoso anel que é o centro da saga de fantasia criada por J.R.R. Tolkien. O anel é feito de ouro e tem a inscrição em élfico que diz: “Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los, Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los”. O anel é um símbolo de poder, corrupção e tentação, e é cobiçado por muitos personagens da história1.


O ‘amaldiçoado’ diamante negro Orlov

Este diamante é uma das maiores e mais raras gemas do mundo, com 67,5 quilates e uma cor preta intensa. O diamante tem uma origem misteriosa, mas acredita-se que ele tenha sido roubado do olho de uma estátua de um deus hindu na Índia, no século XVIII. O diamante passou por vários donos, entre eles o conde Orlov, que o deu de presente à imperatriz Catarina, da Rússia. O diamante é considerado amaldiçoado, pois todos os seus donos tiveram destinos trágicos ou infelizes2.


A pérola La Peregrina

Esta pérola é uma das mais antigas e mais valiosas do mundo, com 50,56 quilates e uma forma perfeitamente oval. A pérola foi descoberta no Panamá, em 1513, e foi levada para a Espanha, onde pertenceu a vários reis e rainhas. A pérola também foi propriedade de Napoleão Bonaparte e da atriz Elizabeth Taylor, que a recebeu de presente de seu marido, Richard Burton. A pérola é um símbolo de elegância, sofisticação e romance3.


O ‘amaldiçoado’ diamante Hope

Este diamante é um dos mais famosos e mais temidos do mundo, com 45,52 quilates e uma cor azul profunda. O diamante tem uma origem incerta, mas acredita-se que ele tenha sido extraído na Índia, no século XVII, e que tenha sido parte do olho de uma estátua de uma deusa hindu. O diamante passou por vários donos, entre eles o rei Luís 14, da França, e o banqueiro Henry Hope, que lhe deu o nome. O diamante é considerado amaldiçoado, pois todos os seus donos sofreram infortúnios ou desgraças4.


O bracelete Pantera de Cartier, de Wallis Simpson

Este bracelete é uma das joias mais icônicas e mais caras do mundo, com um valor estimado de 12,4 milhões de dólares. O bracelete foi criado pela joalheria Cartier, em 1952, e tem o formato de uma pantera, feita de ouro, platina, diamantes e ônix. O bracelete foi um presente do duque de Windsor, Eduardo 8°, à sua esposa, Wallis Simpson, que era uma socialite americana divorciada. O bracelete é um símbolo de rebeldia, glamour e amor, pois o duque abdicou do trono da Inglaterra para se casar com Wallis5.


O diamante Koh-i-Noor

Este diamante é um dos maiores e mais preciosos do mundo, com 105,6 quilates e uma cor branca brilhante. O diamante tem uma origem antiga, e foi encontrado na Índia, em 1304. O diamante pertenceu a vários imperadores e governantes da Ásia, até que foi tomado pelos britânicos, em 1849, como parte do Tratado de Lahore. O diamante foi incorporado à Coroa Britânica, e é usado pela rainha Elizabeth 2°. O diamante é um símbolo de conquista, soberania e controvérsia, pois muitos países reivindicam a sua posse6.


O anel de sinete de Maria Antonieta

Este anel é uma das joias mais raras e mais históricas do mundo, pois pertenceu à rainha Maria Antonieta, da França, que foi guilhotinada durante a Revolução Francesa, em 1793. O anel é feito de ouro e tem um selo com as iniciais da rainha, MA, gravadas em um diamante. O anel foi um dos poucos objetos que a rainha conseguiu enviar para sua família na Áustria, antes de sua morte. O anel é um símbolo de lealdade, memória e tragédia.


O diamante de ‘Bonequinha de Luxo’

Este diamante é um dos mais belos e mais cobiçados do mundo, com 128,54 quilates e uma cor amarela intensa. O diamante foi descoberto na África do Sul, em 1877, e foi comprado pela joalheria Tiffany, que o lapidou em uma forma de almofada. O diamante foi usado pela atriz Audrey Hepburn, no filme ‘Bonequinha de Luxo’, de 1961, onde ela interpreta uma garota de programa que sonha com uma vida de luxo. O diamante é um símbolo de glamour, sonho e desejo.


O diamante de Wittelsbach-Graff

Este diamante é um dos mais raros e mais valiosos do mundo, com 31,06 quilates e uma cor azul profunda. O diamante tem uma origem antiga, e foi encontrado na Índia, no século XVII. O diamante pertenceu a vários reis e rainhas da Europa, entre eles o rei Filipe 4°, da Espanha, e a imperatriz Maria Teresa, da Áustria. O diamante foi comprado pelo joalheiro Laurence Graff, em 2008, que o lapidou novamente, aumentando o seu brilho e a sua pureza. O diamante é um símbolo de realeza, arte e perfeição.


O colar L’ Incomparable Diamond

Este colar é o colar mais caro do mundo, com um valor estimado de 55 milhões de dólares. O colar foi criado pela joalheria Mouawad, em 2013, e tem como peça central um diamante de 407,48 quilates, que é o maior diamante lapidado do mundo. O diamante foi encontrado por uma menina de 14 anos, em uma pilha de entulho, na República Democrática do Congo, em 1980. O colar também tem outros 91 diamantes menores, que somam 230 quilates. O colar é um símbolo de beleza, raridade e sorte.


0 visualização0 comentário
bottom of page